O projeto EcoReFibre, do programa Horizonte Europa, explora tecnologias inteligentes de triagem e processamento para reciclar a madeira pós-consumo em painéis de fibras e em novos produtos de construção.

Foram lançados cinco projetos-piloto muito promissores com os principais fabricantes de painéis para demonstrar como as abordagens à economia circular, em conjugação com tecnologias inovadoras e apoiadas no sistema digital, vão permitir a segurança do fornecimento de matérias-primas.

O objetivo do EcoReFibre é aumentar a disponibilidade de recursos de madeira na Europa.

A redução da dependência dos recursos fósseis e dos mercados internacionais de matérias-primas está a tornar-se extremamente importante para as políticas europeias, na sequência da crescente preocupação com os impactos económicos globais da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Foi estabelecido o Pacto Ecológico Europeu como a nova política industrial para combater as alterações climáticas, promover os produtos sustentáveis e circulares, reduzir o desperdício e melhorar o desempenho energético.

Na emergente nova ordem mundial, a transformação verde desempenhará também um papel fundamental para garantir um robusto fornecimento interno de materiais e energia a partir de fontes renováveis.

Os painéis de fibra são painéis de madeira transformados, que são amplamente utilizados em mobiliário, design de interiores e construção.

A Europa é líder na produção de painéis de fibras e atinge uma produção mundial superior a 100 milhões de metros cúbicos por ano. O sucesso comercial dos painéis de fibras, em particular os painéis de fibras de média densidade (MDF), leva a que todos os anos sejam geradas enormes quantidades de resíduos destes painéis.

Atualmente, não há um método comercialmente viável para reciclar os painéis de fibras pós-consumo em novos painéis de fibras.

Desta forma, os painéis de fibras são fabricados maioritariamente a partir de madeira virgem refinada, ou seja, madeira colhida da floresta e resíduos de transformação de serrações e fabrico de contraplacado.

Para além disso, apesar da capacidade da indústria de incorporar a madeira reciclada no fabrico de aglomerados de partículas, continua a haver uma grande quantidade de madeira residual que é incinerada ou até enviada para aterros, contrariando os princípios de uma economia circular.

Com uma subvenção de 12 milhões de euros disponibilizada pelo programa Horizonte Europa da Comissão Europeia, o projeto decorrerá de maio de 2022 até abril de 2026.

O consórcio é composto por 20 organizações parceiras em 7 países, incluindo os principais produtores de painéis e fabricantes de equipamentos.

A equipa do projeto realizou o encontro inicial de 18 a 19 de maio de 2022, em Uppsala, Suécia.

“O projeto EcoReFibre vai explorar um conceito em cascata para recuperar as matérias-primas dos painéis de fibras residuais, que depois ficarão disponíveis para a remanufactura de produtos industriais", diz o coordenador do projeto, Stergios Adamopoulos, da Universidade Sueca de Ciências Agrícolas.

Com equipamentos de triagem melhorados, os painéis de fibras serão extraídos do fluxo de resíduos de madeira, que podem então ser processados para gerar matérias-primas secundárias de fibras e partículas finas de qualidade standardizada.

O ambicioso objetivo consiste em substituir até 25% das fibras virgens utilizadas no fabrico de novos painéis de fibras por fibras secundárias recuperadas.

As tecnologias inovadoras a desenvolver incluem processos de triagem inteligente, um reator de impacto e melhorias no processo de refinação (TMP) existente. Os diferentes produtos finais a serem testados incluem painéis de partículas, blocos de construção biocompostos e CTB (painel fino cíclico), novos MDF e HDF (painel de fibras de alta densidade) e produtos de isolamento (painel flexível, painel rígido, isolamento a granel).

Este projeto está a realizar um estudo de mercado detalhado para determinar a disponibilidade atual e futura de resíduos MDF, como base para reforçar as atividades comerciais de reciclagem na Europa.

"É necessária uma grande quantidade de dados para dar aos investidores a confiança para investirem na maquinaria e nos processos que estão a ser desenvolvidos pela EcoReFibre", diz Dr. Mark Irle, investigador principal da Ecole Supérieure du Bois, Nantes, França.

Os impactos ambientais e sociais, bem como os benefícios destas novas tecnologias, também serão analisados ao pormenor numa perspetiva de ciclo de vida.

As demonstrações-piloto lideradas pela indústria serão desenvolvidas em casos empresariais sólidos que aumentem o rendimento do investimento e criem valor económico, empreendedorismo e novos empregos.

Ao promover uma ampla divulgação de todos os resultados tangíveis, o projeto visa uma adoção generalizada das soluções aprovadas no setor industrial europeu dos painéis de madeira.